sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

morte solitária

Quando a tristeza atinge o mundo
Os olhares se encontram com lágrimas
Os corações se abraçam de saudade
E o lamento dorme sobre a cama

A mentira o trajeto sobre o vento
Inocência tão grande sobre o prazer
A infelicidade corre a solta e nada há de você fazer
E às vezes as pessoas que choram não foram feitas para sofrer

Negro é o caminho para a solidão
Com nos com breves paradas
A dor sucumbe o coração da mal amada

Um sonho, que pesadelo sem fim me persegue
No inverno quente que não há neve
A dor o grito que chega o arrepio
Sem as medidas e sem as facas nuas que cortaram a sangue frio

Não sei dizer
Nem ao menos falar
Mais a morte e a solidão são aliadas a matar
Pessoas solitárias sem gratidão
Cegas e sem instrução
Os olhos de quem nega a dor mais não admite ter coração.

Nenhum comentário: