sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Viajem

Olho e vejo com mais belo desejo
Paro e observo como quando mais espero
A luminosidade da estrada
Dolorida e toda exausta.

Viajando sem saber pra onde
Sem carteira, nome ou sobrenome
Se esconder o rosto
Nada de especial.

Vim de carona
Escondida em meio à lona.

Vim de táxi
Livre e com liberdade.

O grande sol a impulsionar o sono
Nada de olhos com lacrimação.

Viajem o que mais quero?
Sou uma pessoa
Mais fria leve mais a toa.

Sem distinção
Observando placas e a estrada
Sou viajante no mundo
Sobretudo uma terráquea.

Sou poeta faço rimas sem pisar no chão
Viajante de palavras
Causadora de pensamentos
Transformadora de sonhos
Viajo e não há nada de errado.

Nenhum comentário: