sábado, 28 de novembro de 2009

Verbo da vida

Andei despercebida sem ter onde pisar
Andei sobre as linhas uma corda bamba a cruzar
Tentei correr sozinha sobre as mentiras
Mais tentando e errando se aprende na vida
Minha cabeça pensamento que não da pra parar
Eu perco o controle de vez para me encontrar
Eu tenho muitas desculpas para andar de bar em bar
Eu tenho varias merrecas para eu poder comprar
Cara de sínica para disfarçar
Toda essa maldade estampada com ingratidão
As mãos muitas vezes batem mais que o coração
As rosas que falam com tanta obsessão
O caráter ensina a não ter tanta burrice
O governo domina com toda cretinice
Voltei a andar mais agora é sobre a vida
Voltei a buscar mais agora é consciência limpa
Temos que errar mais não aceitar os erros
Temos que mudar a vaga existência de nós mesmos.

Nenhum comentário: