domingo, 22 de novembro de 2009

Um dia que eu não possa

Um dia que eu não possa
Passar da conta
Sentir a rocha que é meu coração
Esquecer da noite e lembrar-se do amanhã

Um dia que eu possa
Aquecer meus sentimentos
Migrar ate o inferno
E enojar a velha ditadura

Um dia que eu possa pensar
No amor mais dormente
Na pessoa mais carente
Que só pensa em nós
E nós só pensamos na gente

Um dia que eu possa entristecer
Esquecer de quem me cerca
Do mar e das pedras
Enquanto o colírio se esvaia
O dia aos poucos se acaba.

Nenhum comentário: