quarta-feira, 25 de novembro de 2009

morte merecida

Eu corto meus dedos
E deixo o sangue escorrer
Não tem nenhum segredo
Para aqueles que desejam morrer

Uma escuridão avança sobre mim
Não tenha medo basta dizer sim
Não creio na covardia
Talvez um pouco na nostalgia

Não dou pequenos centavos
Muita gente se faz de otário
Para roubar corações usados

A morte está sobre aqueles que não saber viver
Que planejam o mal e seu gosto
Aqueles que merecem sentiram o sangue em seus pescoços.

Nenhum comentário: