terça-feira, 24 de novembro de 2009

Ela

Ela amou um misterioso coração
Ela não deixou que caísse sobre o chão
Ela não olhou
Pois seus olhos cheios de lágrimas subtraíram a dor

Ela se trancou em um quarto escuro
Ela é medrosa tem medo ate das rosas
Ela é o sangue frio sobre a ponte torta
Ela é viva e morta

Ela vai embora
Ela se derrama sem delicadeza
Ela é a fria e crua incerteza
Ela é a morte de vestes negras

Ela é ela e não aquela
Ela diz mentiras com a boca aberta
Ela destranca um sentimento
Ela enfim é o próprio sofrimento.

Nenhum comentário: