quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dor da desgraça

Essa dor que me mata e me leva
Castiga-me no frio polar
Arranca meus olhos não me deixa andar

Não me sinto a vontade
Não combato a moralidade
Pois a dor deprime ate os seres inimagináveis

A dor me condena
Tranca-me em uma prisão
Olha de longe e me mata
Isso é a mais pura frieza da desgraça.

Nenhum comentário: