sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Quem eu sou?

Trancada
Mais que imensa desgraça!
Pensei que era eu
Eu sou tu e tu és eu.

Confundindo a mim mesmo
Um retrato de uma foto
Bilhetes cortados e minha vida em pedaços.

Tatuagem que me engana pouco a pouco
Pois se não sei que sou quem saberá
Parece mistério ou sei lá.

Não tenho nada
Nem documento nem mapas
Talvez seja mais uma perdida em casa.

Que confusão eu sou indelicada
Às vezes modesta
Já conheço um pouco de mim então.

Dê a mim os braços que te devolvo a mão
Sou simples, sou nada eu sou apenas um fantasma.

Um comentário:

evandro mezadri disse...

Olá Bia, muito legal seu blog, principalmente suas poesias, de uma grande maturidade para uma menina tão jovem.
Vou deixar o endereço do meu blog, caso queira visitar, abraço!

http://evandromezadri.blogspot.com