sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Pague

Já falei muitas vezes que o sacrifício só vale no amor
Quantas vezes você já aceito dinheiro roubado
E meus olhos continuam a enxergar o que de fato parece errado Alguns vêem a luz mais não conseguem ir a encontro
Pessoas fracas ser humanos sem opção
Não me de um sorriso eu não sou comprada muito menos vendida
Não adianta tentar me convencer já vi tantas vezes esse jogo sujo
Dizendo que tem todo aquele luxo
Guarde as suas promessas feche essa boca suja,
Corra em direção à fogueira escrita seu nome
Quem peca paga é assim que deve ser
E quem não pagou nesse mundo voltara para ver
Sua vida virou um inferno e as serpentes rastejando
Quer um ultimo pedido? Pode pedir fecharei meus ouvidos para não ouvir
A corda te enforca e o sangue escreve “paguei pelo que fiz”.

Nenhum comentário: