sexta-feira, 16 de outubro de 2009

líquidando

Minha mente pensa e gira sem parar
Meu lugar é aquele distante onde queria estar
Eu voei pelo universo
Meu coração vazio como um deserto.

Fria neblina ao amanhecer
Não te quero mal meu bem querer
Preto no cinza, doce azul blue
O destino o quis longe
Longe que reluz.

Eu estou caída aos teus pés
Sentimento descansa longe do meu ser
Doces carícias me vêem em sonhos eternos.

Momento propício
Eu e você e o calor do deserto
Diz-me que não
Diga que não acredita na ilusão
Foi mentira doída sofrida
Desgasta-me líquida
Oh ferida!

Nenhum comentário: