sábado, 10 de outubro de 2009

insistência

Não desisto por mais que peçam
encaro firme a melancolia
da imitação barata de jovens tolos
lamber a ultima carta de incentivo
assim como é maléfico a superfície de alguns corações
o piano toca sozinho
meus ouvidos não escutam
estão ocupados observando a passagem
a passagem dos perverso que encaram com desconfiança.

O realce do seu sorriso me deixa inocentada
tenho uma recaída com seu doce encanto
estou recém-formada e não sei agir.

Reprimi meu falso projeto
entregando a eles meus sentimentos
com a volta do mundo em mim mesma
e com a forma primitiva do mundo
só quero salvar você
mesmo que eu sangre e rale os joelhos
digo a você,você é meu amor verdadeiro.

Se isso diz a você um sinal
só digo a verdade num tom sincero
realizo meu desejo de dizer o que quero
já que o mundo me dilacera
o seu futuro guardado o espera.

Nenhum comentário: