sábado, 31 de outubro de 2009

Festa do suicídio

As e meias estão espalhadas
E um sentimento se náusea provocador rodeia
O crepúsculo da noite bem no alto
Roupas pelo chão é um salto vermelho
Parece o fim de uma festa
Em meio ao escuro preto acalentado
Bebidas espalhadas por todo redor
Tequila vodka e uma dose de ilusão
Barulho que ouso uma vitrola velha
Gemendo com a agulha quebrada
Os passos ensaiados em meio o frio da noite
Que mundo que ninguém conhece
A festa sem convidados em meio ao errado
Parece um passado escrito em poucos segundos
Em meio a sentimentos calados bebidas e resto de vodka
A loucura calando-se e os sons da vitrola distanciam-se
Quem sofreu em meio ao labirinto
Encontrando aquilo que está perdido
Em meio ao mar e as trevas a festa é um pequeno vestígio
Do meu castigo sem ser especifico
Adeus ao mundo é o ultimo grito na festa do suicídio

Nenhum comentário: