sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Antes que o amor morra.

Eu sou um nada no meio do nada
Espero que quando eu partir continue a existir
Amor é como uma corda quando se corta não há nó que reconstrua
Nessa vida tão bela o que mais vale é viver na primavera
Meus dias de insônia se resultam na luta de um dia existir
Na verdade vivendo o mundo.

Não acredite nas mentiras falsas que as dizem
Não se iluda com a volta a vida
Se castigue, pois o mal que fez existe
E essa necessidade tola não é real
Um simples desejo que não se precisa pedir
Um beijo sereno que veio até mim
Implorando as chuvas a céu e ao mar
Que onde estejas eu quero estar.

Afoga-me em teus beijos me cubra de amor
Foi tudo que quis e o amor tem esse sabor
Sabor de desejo que desejei a ti
Seu corpo suas mãos seu toque em mim.

Quero estar ao seu lado colado a ti
Ame-me aceite diga que sim
Pois quando eu parti o tempo terá acabado
Eu morta desesperada
Você sozinho na cama sem nada.

Nenhum comentário: