sábado, 8 de agosto de 2009

jardim do éden mentiroso

A regra era básica
não quebrar as regras e não cair na perdição
a fome era tanta que arranquei meu próprio coração
aquela maça podre envenenada não passava de farsa
o lago repleto de almas mortas
e o jardim destruído
pelos anjos que diziam ser do bem
anjos na verdade são ilusão
são demónios com asas e provocadores de destruição
eu via o jardim destruído repleto de sangue e escuridão
as pragas dominaram as cabeças
e as palavras tolas ser vem apenas de pretexto
para fingir que o inferno chego
inferno existia morávamos la a muito tempo
a terra de pessoas inúteis
o lar de tanto sofrimento
um mundo obscuro
fantasmas aparecem apenas apara avisar
o fim esta próximo
o mundo vai se abala
cair na desgraça
e destruido pelas mentiras.

Nenhum comentário: