segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dilema

Sem compaixão não há coração
E sem lição não há vida, então
Anda por um caminho destinado a nada
Nenhuma palavra muda, mas talvez um pensamento te exclua
Junto com meu coração despedaçado
Que os pedaços resolveram ir por todo lado
Meus sonhos podem ser loucos e impossíveis
Será lembrado todo amor que esteja destinado
É um simples descontrolado se mostrando desorientado
Mas foi encorajado a mostrar que sua inteligência é uma breve paciência
É um dilema, um tema que me faz querer viver sem medo de arriscar
Nada dura para sempre e nem fica no mesmo lugar
A lua estará sempre a me iluminar, todas as noites a bailar.

Nenhum comentário: